9 anos depois…

Fotografia da autoria da minha amiga e maravilhosa fotógrafa Ana Pastoria - www.anapastoria.com

Parabéns a este blogue que completou esta semana 9 anos de vida. Parabéns aos meus leitores, que aqui vêm regularmente e fazem com que tudo isto seja mais do que apenas “o meu espaço” de partilhar as receitas que se fazem aqui por casa, mas seja um espaço nosso, aberto e disponível a todos.
9 anos que originaram, até ao momento 4 livros de receitas. 9 anos que vivem os altos e baixos da blogosfera, das vistas, dos comentários, do mundo em geral e do meu mundo em particular.
9 anos de partilha diária de receitas, de histórias, de desabafos e até de maus humores.
9 anos que viram nascer o Zé Maria, e seguem o crescimento na barriga do pequeno António.
9 anos que são em anos de blogue quase uma vida. 9 anos de trabalho e dedicação apenas porque sim, e porque o blogue é uma extensão da minha vida e uma partilha que me dá muito mais do que aquilo que ofereço.
Passaram 9 anos desde o dia em que, sentada na minha mesa da sala, pensei que “era engraçado fazer um blogue de receitas”. Passaram 9 anos e eu ainda tenho a mania de encarar isto como uma pequena brincadeira, um hobby e quase que me esqueço que este blogue, e estas pessoas que aqui vêm mudaram a minha vida e me deram um rumo que eu nunca pensei seguir.
9 anos de um trabalho que não parece trabalho, mas que dá algum trabalho.
9 anos de muitos leitores regulares e de muitos leitores ocasionais.
9 anos de ver crescer blogues, de ver desaparecer blogues e de ver nascer muitos e muitos blogues.
9 anos de gostar muito disto, mas de às vezes achar que há qualquer coisa que não está muito bem.
9 anos a tentar fazer com que as pessoas tenham ideias, de dar sugestões e de lhes dar um pouco desta minha enorme paixão por cozinhar.
9 anos que me trouxeram workshops que gosto muito de fazer, e onde posso realmente conhecer os leitores, dar dois dedos de conversa e passar uma tarde divertida entre tachos e panelas.
9 anos de momentos nem sempre fáceis, com alguns projetos que acabaram a ficar pelo caminho por culpa de muitas circunstâncias da vida e porque cada um de nós é que tem de estabelecer as suas prioridades.
9 anos que resultaram neste blogue, tal como ele está e tal como ele é. Um blogue que é apenas e só uma casa aberta com receitas e histórias onde cada um pode estar à vontade e procurar o que deseja.
9 anos que são uma história de amor. Entre mim e este blogue. Entre alguns de vocês e este blogue e, em alguns casos entre mim e os meus leitores.
9 anos que têm um balanço muito feliz porque devemos sempre ser felizes com as nossas escolhas, porque só assim a nossa vida deve fazer sentido.
9 anos e com vontade de continuar, apesar de as coisas não serem as mesmas de há 9 anos atrás.
9 anos e ainda ideias, vontade e projectos novos.
9 anos com vocês, para vocês e algumas vezes por vocês.
9 anos que dedico inteiramente aos meus queridos leitores que me permitiram chegar aqui e que me permitem ter vontade de continuar.
9 anos. Quase 2300 receitas publicadas. Mais de 30 mil comentários. 4 livros de receitas editados. E cada um, único e singular dos meus leitores.

Parabéns para nós. Obrigada por me acompanharem neste caminho.

Costeletas de Porco com Maçã Caramelizada


Podia dizer como estas costeletas são deliciosas. Podia dizer que a combinação clássica de maça e carne de porco fica sempre bem. Podia dizer que podem também preparar esta receita no churrasco e cozinhar a maçã num espeto. Podia dizer todas estas coisas.
Mas também posso dizer que tenho dias em que me sinto pouco inspirada. E dias em que acho que as minhas receitas se tornam menos “inspiradoras”. 
Posso dizer que sinto que quem está desse lado consegue perceber as minhas frustrações, as minhas dúvidas e as minhas ansiedades apenas e só por uma receita. Posso dizer que continuo a adorar escrever neste blogue, a adorar ler os comentários e mensagens tão simpáticos dos meus leitores - dos que me seguem há anos, dos que surgem ocasionalmente e do que me seguem há menos tempo.
Posso dizer que sinto que as coisas estão diferentes apesar de não saber bem como nem porquê. Posso dizer que sinto esta atmosfera “bloguista” alterada. Ou então sou eu que estou diferente.
Posso dizer tantas coisas, mas opto por apenas partilhar mais uma receita.

Ingredientes para 2 pessoas:

2 costeletas grandes do cachaço (ou 4 mais pequenas)
1 maçã
azeite q.b.
sal e pimenta q.b.
1 limão
2 dentes de alho
1 folha de louro

Preparação:

Tempere as costeletas de porco com sal, pimenta, os dentes de alho picados, a folha de louro o sumo e a rasa de limão e deixe a marinar alguns minutos.
Entretanto leve uma frigideira ao lume com um pouco de azeite e deixe aquecer bem. Acrescente depois as costeletas e deixe-as cozinhar bem de ambos os lados até que fiquem bem lourinhas. Retire para o prato de servir e tape com papel de alumínio para que não arrefeçam.
Entretanto descasque a maçã e corte-a em quartos, e corte depois cada quarto ao meio. Na frigideira onde cozinhou as costeletas acrescente as maçãs e deixe-as caramelizar e cozinhar durante alguns minutos (se necessário acrescente mais um pouco de azeite), até que estejam douradas e macias.
Sirva as costeletas juntamente com as maçãs caramelizadas e polvilhe com um pouco de tomilho fresco. Acompanhe com batatas salteadas e uma salada verde.


Bom Apetite!

Coelho com Feijão Branco e Tomate


As comidas de “um tacho só”, podem não ser as que mais lembram o verão, mas são, para mim, das mais práticas de preparar. Tudo numa mesma panela, que vai cozinhando lentamente até que fique pronto. Mesmo a calhar para quando o jantar tem de ficar preparado de véspera, ou quando estamos demasiado ocupados com alguma coisa, ou mesmo para aquelas refeições que se fazem a mais e congelam. Basta depois aquecer lentamente e parece que foi acabado de preparar.
Os dias quentes nem nos pedem estas comidas: são mais saladas frescas com leguminosas e legumes, frango, atum ou ovo cozido. O peixe e a carne grelhados e os acompanhamentos mais leves. Mas mesmo assim, um prato de um tacho só nunca deixe de ter o seu encanto, quer seja pela simplicidade, quer seja por ser prático, ou apenas e só porque no fim há pouca louça para lavar.
O feijão branco com o coelho e o tomate é uma combinação que fica sempre bem. Deixo a sugestão.

Ingredientes para 2 a 3 pessoas:

1/2 coelho partido em pedaços
2 tomates maduros
2 colheres de sopa de polpa de tomate
1 cebola
2 dentes de alho
1 raminho de tomate
sal e pimenta q.b.
1 lata pequena de feijão branco
1 folha de louro
1 pernada de tomilho fresco
1 colher de sopa de massa de pimentão
azeite q.b.

Preparação:

Pique a cebola juntamente com os dentes de alho e metade do ramo de salsa.
Leve um tacho ao lume com um pouco de azeite e deixe refogar a mistura de cebola juntamente com a folha de louro.
Acrescente o coelho e wnvolva no refogado deixando-o ganhar cor. Tempere com sal, pimenta e com a massa de pimentão, junte o tomate partido em pedacinhos, a polpa de tomate e os raminhos de tomilho e acrescente água até cobrir o coelho. Deixe cozinhar em lume brando, cerca de 30 a 40 minutos até o coelho estar macio.
Acrescente depois o feijão branco, previamente escorrido e envolva bem juntamente com o coelho. Retifique os temperos e, se necessários acrescente um pouco mais de água. Deixe apurar mais alguns minutos.
Sirva polvilhado com mais salsa picada e acompanhe com arroz branco.


Bom Apetite!

Chá Verde Gelado com Mirtilos e Framboesas


O chá é uma das minhas bebidas de eleição. A versão de chá gelado é a opção para os dias quentes.
As variações são mais do que muitas, e é muito simples preparar esta bebida refrescante em casa, com a nossa combinação favorita.
Para substituir a água, para beber durante a refeição, apenas para refrescar… Um excelente substituto o sumos e refrigerantes que até os mais pequenos vão gostar.
O primeiro chá gelado do ano levou os primeiros mirtilos da temporada, trazidos do mercado biológico durante o fim de semana.
Uma bebida para dias de calor, churrascos e piqueniques.

Ingredientes:

2 saquetas de chá verde (use chá verde com limão)
50g de mirtilos
50g de framboesas
2 rodelas de limão
açúcar ou adoçante q.b. (opcional)

Preparação:

Ferva um litro de água e junte-lhe as saquetas de chá. Deixe em infusão cerca de 10 minutos.
Entretanto coloque os mirtilos e as framboesas numa jarra e, se usar, junte o açúcar ou o adoçante. Com uma colher de pau esmague ligeiramente os frutos enquanto os envolve no açúcar, e junte 500ml de água fria. 
Retire as saquetas de chá e junte o chá quente à mistura de frutos. Junte também as rodelas de limão cortadas ao meio e envolva bem.
Leve ao frigorífico até ficar bem frio, e sirva em copos com gelo.


Bom Apetite!

Cachorro Quente (versão oficial cá de casa)


Não há nada de mal em fazer refeições mais preguiçosas. Principalmente ao fim de semana, depois de um almoço na companhia de vários amigos e que se prolongou por mais tempo do que aquele que dita o relógio como o “previsto” para um almoço.
O fim de semana veio com sol e calor, e com a nossa rotina habitual dos sábados de manhã: piscina do pequeno, mercado biológico do Botânico e umas compras rápidas. Teve ainda um atelier na horta Terra Fresca com legumes frescos e boa disposição, um lanche ajantarado com petiscos para o amigo João que veio de férias, e um domingo entre café na esplanada, almoço com amigos e sorna no sofá (pelo menos para mim e durante a sesta do Zé Maria).
Claro que no meio de tudo isto, esta barriga que carrega o pequeno António de 22 semanas, vai-me dando alguns sinais de cansaço, e obriga-me a alguns atalhos. O nosso jantar de domingo foi um atalho: um cachorro quente preparado em poucos minutos, saboreado na varanda a dizer adeus ao fim de semana e a anunciar outra semana atarefada.
Boa segunda-feira a todos!


Ingredientes para 2 pessoas:

2 baguetes de cereais
2 fatias de queijo
2 salsichas para cachorro tipo alemãs
folhas de rucula selvagem q.b.
1 tomate chucha
mostarda e ketchup q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Faça uns golpes na salsicha e leve-as a cozinhar numa frigideira com um fio de azeite.
Entretanto abra as baquetes ao meio e coloque em cada uma delas uma fatia de queijo.
Lave a rucula e seque-a bem assim como o tomate. Corte o tomate em rodelas.
Quando as salsichas estiverem prontas coloque-as sobre o queijo, para que a salsicha ainda quente derreta um pouco o queijo e acrescente depois a rucula e as rodelas de tomate.
Junte um pouco de mostarda e ketchup a gosto.
Sirva de imediato.

Bom Apetite!


Rigatonni com Espargos Verdes, Cogumelos e Queijo Feta


Neste caminho da maternidade tem-me ensinado muitas coisas. Talvez a mais importante de todas seja a que nunca devemos questionar as opções dos outros pais. Cada um deverá saber o que é melhor para o(s) seu(s) filho(s) e são conversas que, quando existem opiniões/conceitos muito diferentes, geralmente não acabam muito bem. Já o tinha percebido muito antes de ter filhos, mas agora compreendo ainda melhor.
Talvez por isso goste pouco de responder a perguntas sobre alguns hábitos do Zé Maria. Porque eu faço o que acho ser mais correto para o meu filho, e que funciona melhor na nossa estrutura familiar. E faço-o agora, neste momento. Amanhã, não sei se direi ou farei a mesma coisa.
Quando a questão se prende com a alimentação é quando as observações são mais curiosas. “O que cozinhas para o Zé Maria, quando fazes aquelas coisas do blogue para vocês?” 98% das vezes ele come o mesmo que nós. Sim. Se o almoço é favas com chouriço e arroz branco ele come exatamente favas com chouriço e arroz branco. “Ai coitadinho a comer favas!” Comeu, gostou e repetiu. E não parava de pedir chouriço…. E também come polvo à lagareiro, que adora, e os bifinhos de peru com mozarella que coloquei esta semana blogue, o sumo de beterraba com laranja, o frango tandoori, ou os crepes de cogumelos, só para citar as receitas mais recentes. E come sempre bem? Não.
Há dias em que come muito bem. E outros que não quer. Exatamente a mesma coisa que já tinha comido e repetido de outras vezes. Se me preocupo? Não muito. Não quer comer não come. Mas não vou a correr preparar-lhe outra coisa. Porque come sempre muito bem a sopa e a fruta e se não comer tão bem ao almoço ou jantar, seguramente que come melhor na próxima refeição. Por aqui dispensamos as birras à hora da refeição. Não quer não come. Ponto.
Mas esta é a nossa filosofia, a nossa opinião, a nossa maneira de encarar a alimentação do nosso filho. Tal como continuamos sem lhe dar açúcar, ou muito menos lhe damos bolachinhas ou outras guloseimas para colmatar “ter comido mal”. Por outro lado não temos o mínimo problema de lhe dar tudo a provar. Queijos (que adora), enchidos, salmão fumado, caril e outras especiarias, favas, figos… Porque achamos importante que ele conheça além dos lombinhos de pescada e do bifinho com arroz. Mas não dou “sermões” a ninguém acerca do que fazem com a alimentação dos seus filhos.
Porque é inútil, porque no seu íntimo cada pai tem a convicção de que o que faz é realmente o mais acertado.
Por isso, e só por isso, ontem esta massa foi o nosso jantar. Dos 3. O Zé Maria só comeu a massa - e depois um prato de sopa e ainda uma pêra. (Valerá a pena ficar muito preocupada? Não me parece!)

Entretanto amanhã, sábado dia 23, pelas 15h30, que estarei na horta da Terra Fresca em Coimbra (Bencanta) para mais um Atelier de Culinária, desta vez dedicados a receitas variadas com fruta e e hortícolas. Para se inscreverem ou para mais informações geral.terrafresca@gmail.com

Ingredientes para 2 pessoas:

150g de massa rigatonni (ou outra massa curta à escolha)
6 espargos verdes frescos
8 cogumelos brancos
1 tomate pequeno
1/2 pimento vermelho
100g de queijo feta
azeite q.b.
sal e pimenta q.b.
tomilho fresco q.b.

Preparação:

Coza a massa em água a ferver, temperada de sal, até ficar al dente.
Entretanto prepare os espargos partindo-lhe as extremidades duras e cortando-os depois em pedaços. Limpe os cogumelos e corte-os em laminas e corte o pimento em cubinhos pequenos.
Leve uma frigideira ao lume com um pouco de azeite e junte o pimento em cubos. Deixe saltear uns minutos e acrescente depois os espargos e os cogumelos partidos. Tempere com um pouco de sal e pimenta e com as folhinhas de tomilho fresco e deixe cozinhar até os legumes estarem cozinhados mas ainda crocantes.
Assim que a massa estiver cozida escorra-a e junte-a à frigideira com os legumes. Envolva bem e junte um pouco mais de azeite.
Corte o tomate em cubinhos, assim como o queijo feta e envolva na massa.
Coloque numa taça ou saladeira e sirva.


Bom Apetite!

Quadrados Amanteigados de Framboesa


Não há dias certos para fazer bolos. Tem a ver com o estado de espírito, a vontade, ou apenas com a necessidade de gastar ovos ou de aproveitar o forno estar ligado a preparar outra coisa qualquer.
Mesmo em dias atarefados, em dias que estou mais cansada, ou mesmo logo depois do jantar ou ainda de manhã cedo, todas as alturas são ideais para fazer um bolo. Destes simples, sem cremes, coberturas, decorações.
Um bolo para comer à tarde, ao lanche, ou depois do almoço ou jantar a acompanhar o café, como a minha doce avó Cila adorava.
Para mim, quase todas as ocasiões são perfeitas para fazer e comer um bolo. É por isso que acho deveras engraçado, quando alguém me diz que não sabe como é que eu tenho tanta paciência para fazer bolos “ainda por cima grávida e com uma criança pequena em casa”.
Mesmo assim, ainda encontro paciência, vontade e gosto para ir para a cozinha.
A recompensa é mesmo poder comer a primeira fatia….

Entretanto é já este sábado, dia 23, pelas 15h30, que estarei na horta da Terra Fresca em Coimbra (Bencanta) para mais um Atelier de Culinária, desta vez dedicados a receitas variadas com fruta e e hortícolas. Para se inscreverem ou para mais informações geral.terrafresca@gmail.com


Ingredientes:

150g de framboesas frescas ou congeladas
200g de farinha
200g de manteiga
200g de açúcar
4 ovos
1 colher de chá de fermento em pó

Preparação:

Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme homogéneo. Junte depois os ovos, um a um batendo bem entre cada adição. Junte depois a farinha e o fermento e mexa bem.
Acrescente por fim as framboesas e envolva-as cuidadosamente no preparado.
Unte e forre um tabuleiro retangular com papel vegetal, também untado, e espalhe a mistura pelo tabuleiro alisando bem.
Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 40 minutos, até o bolo estar cozinhado e dourado.
Retire do forno e deixe arrefecer alguns minutos antes de retirar da forma.
Depois de completamente arrefecido corte em quadrados.



Bom Apetite!

Imprimir